Videogames

Os destaques de 2017 por Vinícius Machado, do Nautilus

Destaques de 2017, por Vinícius Machado

Esse foi o meu ano mais difícil em algum tempo. As ansiedades de 2016 sobre o trajeto do mundo foram ampliadas, e muitos elementos importantes da minha vida foram perdidos ou desperdiçados. Pela primeira vez, eu precisei dos jogos. Por mais que o Nautilus me obrigue a jogar alguma coisa, raramente eu me via pegando algo para jogar por interesse próprio, sem ser para fazer um vídeo ou gravar um podcast. Mas dessa vez, eu me vi recorrendo a eles em busca de algum significado.

Alguns jogos esse ano me ajudaram a seguir em frente. Repensar algumas atitudes. Se sentir compreendido naquele aspecto que você nunca conseguiu expressar. Se inspirar o suficiente para gerar o mínimo de força para não desistir. Nesse texto eu apresento três deles. Não são necessariamente os melhores jogos de 2017 – eu joguei poucos deles – mas sim três jogos que deixaram uma marca em mim.

and i made sure to hold your head sideways

O ato de lembrar pode ser uma das piores coisas que nós podemos fazer com as nossas memórias. Para lembrar de algo, o cérebro precisa recriar essa memória, e esse processo traz novas imperfeições, cada vez distorcendo mais a lembrança original. Mas ao mesmo tempo, todo ato de lembrar também é um ato de criação, justamente por adicionar essas novas imperfeições.

Essa dança de criação e destruição é o que me prende à and i made sure to hold your head sideways. Você está tentando lembrar o que aconteceu na noite de Réveillon. As memórias aparecem como formas embaralhadas, e você precisa ajustar elas até que elas formem uma imagem. Você pode mexer as formas com as setas direcionais, com cada combinação de setas rearranjando as formas de uma maneira diferente.

O movimento não é exato e não há como você prever a solução muito bem, é meio caótico. Um conjunto de curvas e retas, se você mexer o suficiente, se transforma em um céu estrelado e duas pessoas. Mas na maioria das vezes, resulta apenas em um outro conjunto de linhas e curvas. O ato de tentativa e erro nesses casos traz uma agonia semelhante a quando você tem algo “na ponta da língua” mas de forma alguma consegue chegar na resposta.

O ritmo lento para resolver cada memória dá espaço para aquela dança que eu mencionei antes. Enquanto você tenta recriar cada imagem, é inevitável que você se questione sobre o que ocorreu. Assim como o protagonista, você não tem certeza do que aconteceu, então as suas deduções vão aos poucos sendo quebradas pelos acontecimentos reais. Mas ao mesmo tempo, essas deduções adicionam detalhes para a história.

Por muito tempo, achei que as minhas memórias seriam a coisa mais valiosa que eu poderia ter. Mas esse ano, memórias que pareciam ser ruins se tornaram boas e vice-versa. Eu joguei and i made sure to hold your head sideways somente uma vez, e é um jogo curto, mas de alguma forma ele continua aparecendo na minha cabeça e perguntando: ”o que realmente importa em uma memória?”

and i made sure to hold your head sideways está disponível no itch.io.

Packing Up the Rest of Your Stuff on the Last Day at Your Old Apartment

Dois anos atrás eu ganhei um daqueles copos térmicos de presente de aniversário. Eu ainda uso ele todos os dias, e as vezes eu me vejo analisando ele. É inevitável que lembranças com essa pessoa apareçam. Como nós éramos próximos, como brigamos e deixamos de se falar. Essas histórias acabaram dando um significado forte para um simples copo.

Packing Up the Rest of Your Stuff on the Last Day at Your Old Apartment (foi um ótimo ano para nomes longos) explora essa relação entre as nossas histórias e os nossos pertences. Você está prestes a se mudar, e está no processo de empacotar todos os seus objetos.

Ele acaba sendo um grande quebra-cabeça onde você precisa encontrar uma forma de encaixar todos seus pertences em três caixas. Ao segurar um objeto, um pequeno texto aparece no lado esquerdo da tela. Foi aí que o jogo roubou meu coração. Cada texto conta alguma memória que o personagem tem daquele objeto. Aquela garrafa de vinho que você dividiu na última vez que a Holly te visitou. O caderno antigo do colégio, repleto de desenhos e recadinhos dos seus colegas.

É um dia quente de verão, dois ventiladores estão ligados. Os quartos dos seus amigos já estão vazios. A única coisa quebrando o silêncio é o seu MP3 no encostado na janela. Preparar uma mudança já é uma situação que convida memórias por si só, mas o cenário do jogo amplifica isso.

Ele é uma experiência curta, mas que vai te fazer pensar, e até mesmo se pegar lembrando de histórias antigas enquanto joga. Packing Up the Rest of Your Stuff on the Last Day at Your Old Apartment é uma ode aos rastros que deixamos nas pessoas com os nossos pertences.

Packing Up the Rest of Your Stuff on the Last Day at Your Old Apartment também está disponível no itch.io

The Long Dark

Passei a madrugada em claro. Já nem sinto mais o meu corpo e nem lembro qual foi a última refeição que eu fiz. O amanhecer e o pouco de luz que vem com ele, me permite sair de baixo de um morro de pedras que eu encontrei e usei como esconderijo durante a nevasca. Mal se passam dois ou três minutos de caminhada, e eu começo a ouvir um barulho atrás de mim.

Ao mesmo tempo que eu me viro, o lobo pula no meu pescoço. Consigo afastar ele com uma estaca que fiz com uma pedra afiada, mas é tarde demais. Não tenho nada para estancar o sangramento, então o que me resta é admirar a paisagem enquanto aprecio os momentos finais.

O nihilismo é inevitável enquanto se joga The Long Dark. Em vários momentos eu me perguntei porque eu ainda estava jogando ele. Quase sempre, o final é uma morte, muitas vezes até menos emocionante quanto essa, com você só morrendo de fome ou de frio.

Mas ele te faz refletir sobre o quão difícil é só se manter vivo, e como nós devíamos dar mais valor pra isso. Muitos dias de 2017 foram difíceis ao ponto de eu ter dificuldade de levantar da cama, dias onde até as necessidades básicas parecem tarefas possíveis somente para um Hércules.

E nesses dias, eu refleti muito sobre a morte. Algumas vezes, ela parecia inevitável. Algumas vezes, a solução. E a morte é quase que uma rotina em The Long Dark. É como você aprende e melhora. Ele te faz se sentir confortável com o conceito. E morte também responsável pelos momentos especiais do jogo.

Você vai estar faminto, e quase congelando. A visão já está ficando turva, e o caminhar já foi trocado por alguns passos largos e irregulares. Você pensa em desistir, ou melhor, pensa que só lhe resta esperar. Mas de repente, lá no canto da sua visão, aparece uma cabana. E ela é linda. E você decide ir até ela, e derrepente, nem tudo está perdido. The Long Dark é capaz de criar esperança dentro de você.