Tecnologia

Videovigilância: você está usando o HD certo para suas demandas?

O mercado de videovigilância tem crescido exponencialmente no mundo todo. A relevância do vídeo em nossa cultura aumentou e a necessidade de se sentir seguro também. Com estes fenômenos, a preocupação com métodos eficazes de vigilância por vídeo para a população se sentir segura passou a ser crucial, bem como o armazenamento dessas imagens. De acordo com um estudo da IHS Markit*, de pesquisa e análise de dados, as Américas representaram 26% desse segmento (no mundo), com uma taxa de crescimento anual superior a 3%. Já a fatia da América Latina dentro de Américas é de 18%. Apesar da crise econômica e da recessão de mercado em 2015, o Brasil ainda responde como o maior mercado de videovigilância da América Latina.

A adoção massiva de câmeras de vigilância em HD e FHD teve uma explosão tão grande que o armazenamento audiovisual está crescendo em um ritmo muito rápido. De acordo com o mesmo estudo da IHS Markit, a videovigilância responde por 54% do mercado total de segurança física mundial, o que em 2015 representou cerca de 14,9 bilhões de dólares em receitas, e estima-se que cresça a uma taxa anual de 6,3% até 2020.

O mercado de segurança (segurança pública, propriedade intelectual, proteção e combate ao terrorismo), a área de negócios (segurança de comércios, análise de vídeos, melhoria de eficiências operacionais) e novas tecnologias (resolução avançada de vídeos, largura de banda) devem liderar o mercado profissional de vídeos. Já na América Latina, o setor público lidera com 13,5% do mercado, seguido pelos setores de educação (13,3%) e comércio (10,7%). Apesar do rápido crescimento da demanda, ainda se estima que as câmeras HD CFTV representaram apenas 16,3% das remessas globais de câmeras e 6,6% da receita global de câmeras em 2015. A previsão é de grande crescimento no uso desses equipamentos frente aos analógicos. Segundo a IHS Markit, juntos, eles devem chegar a 98,1% das unidades despachadas até 2020.

Com o nosso interesse por vídeo e as novas tecnologias que permitem imagens de altíssima resolução em 4K, há um aumento evidente nos requisitos de armazenamento. No entanto, o risco de perda de dados é iminente, seja por conta da quebra de um componente crucial ou da diminuição de eficácia – justamente por ele não ser específico para esta função.

Infelizmente, muitos profissionais de segurança estão usando a unidade que não foi projetada e testada para funcionar em um ambiente de sistema de segurança. Esse ambiente inclui a captura de vídeo HD e FHD num ambiente de sistemas de segurança. Este ambiente deve ser otimizado para sistemas de vigilância para ajudar a consumir baixas quantidades de energia e gerar menos calor para aumentar a confiabilidade de uma unidade. O disco rígido que não foi testado em tal ambiente pode até ser mais barato na aquisição, mas eventualmente afetará a solução e prejudicará o instalador ou a reputação do fornecedor da solução.

Existem vários itens específicos a serem observados ao avaliar se um HD (disco rígido) foi projetado para isso:

• Sempre ligado: um sistema de vigilância funciona 24×7. Se a unidade de armazenamento não tiver sido projetada para operações de leitura / gravação constantes e sem fim, ela poderá apresentar problemas.

Confiabilidade de desempenho: algumas unidades incluem tecnologia diferenciada (chamada AllFrame) que melhora o desempenho da reprodução e funciona com transmissão para reduzir erros e perda de quadros.

• Habilitado para RAID: para dar ainda mais tranquilidade ao cliente, talvez você precise de um sistema de segurança com RAID (Conjunto Redundante de Discos Independentes, na sigla em inglês). Um sistema com essa capacidade pode usar dois ou mais discos duros para criar uma rede de segurança para hardware em caso de falhas ao garantir que a imagem siga capturando, mesmo se uma das unidades não estiver funcionando. Isso reduz as interrupções na produtividade e diminui a possibilidade de perda de dados. Busque uma unidade que tenha sido desenhada e testada para sistemas RAID.

• Baixo consumo de energia: esse pode não ser o primeiro requisito na hora de procurar um disco rígido, mas a necessidade por uma capacidade maior de armazenamento acaba impactando nisso. Ter uma unidade que calcula e otimiza a velocidade de rotação do disco não gerará tanto calor e por isso não consumirá tanta energia, mesmo em sistemas de armazenamento passivamente refrigerados, tornando-o mais confiável e mais amigável no bolso do seu cliente.

• Suporte para várias câmeras: um número elevado de câmeras, um sistema NVR ou um período de retenção mais longo exigirá um maior uso de armazenamento e uma necessidade ainda maior de garantir que você tenha escolhido uma unidade que atenda estas demandas. Alguns discos rígidos já oferecem até 10 TB de capacidade por unidade.

• Suporte para um número superior de unidades: o disco rígido correto incluirá sensores de vibração de hardware para permitir sistemas com maior número de unidades e também cargas de trabalho mais altas.

• Compatibilidade com equipamentos: O disco rígido que você seleciona precisa trabalhar com o DVR e NVR que você irá instalar. Ideal é que ela funcione com a maioria das diferentes marcas que você encontra no mercado, tornando assim, ainda mais fácil manter o controle, independentemente do cenário de instalação atual.

Exterior resistente: em alguns casos, a unidade deverá ser instalada e funcionar continuamente em ambientes adversos. Nesse caso, sugerimos adquirir uma com proteção PCBA, que é resistente a manchas.

• Facilmente atualizável: no mundo ideal, seu cliente pedirá ocasionalmente para atualizar ou expandir o atual sistema de vigilância. Escolha uma unidade que possa ser atualizada com um sistema de vigilância existente para facilitar seu trabalho.

Frente ao crescimento exponencial desse mercado, a conclusão é: independentemente do seu objetivo com o sistema de videovigilância, vale considerar algumas variáveis, inclusive de suporte do produto, antes de investir em um circuito completo.

*Fabrício Pinheiro é gerente de vendas sênior da Western Digital no Brasil