Tecnologia

Google impedirá que softwares de terceiros injetem código no Google Chrome

O Google anunciou nesta semana que a partir de 2018, softwares de terceiros não poderão mais injetar código no Google Chrome para Windows.

A inciativa visa reduzir a ocorrência de erros e travamentos causados por softwares de terceiros e também visa melhorar a performance do navegador no sistema operacional da Microsoft.

Google impedirá que softwares de terceiros injetem código no Google Chrome

Para quem não sabe, muitos softwares de terceiros como soluções de acessibilidade e antivírus injetam código no navegador para que eles possam oferecer diferentes recursos.

O problema é que o Google destacou em seu blog que 15% dos usuários do Chrome para Windows rodando softwares de terceiros que injetam código no navegador acabam com erros e travamentos durante a navegação.

Com o anúncio feito no Chromium Blog, o processo de bloqueio será dividido em três etapas:

– Abril de 2018
Com o lançamento do Google Chrome 66, o Google começará a informar os usuários se a injeção de código dos softwares instalados poderá causar problemas no navegador. Se for comprovado que ele poderá causar problemas, um alerta como este abaixo incluirá informações como o nome do responsável pelo software e outros detalhes, como um guia de atualização e instruções para remoção:

Google impedirá que softwares de terceiros injetem código no Google Chrome

Google impedirá que softwares de terceiros injetem código no Google Chrome
Baboo – Tecnologia e Ciência

– Julho de 2018
O Google Chrome 68 começará a impedir que softwares de terceiros injetem código nos processos do navegador. Caso o bloqueio impeça a inicialização do Chrome, ele será reiniciado e permitirá a injeção de código. Neste caso ele também exibirá um alerta com informações para que o usuário possa remover o software.

– Janeiro de 2019
O Google Chrome 72 bloqueará completamente a injeção de código por parte de softwares de terceiros – sem exceções.

É importante destacar que softwares assinados pela Microsoft, soluções de acessibilidade e softwares IME (Input Method Editor) não serão afetados pelo bloqueio.

Mais detalhes podem ser vistos no post com o anúncio do Google.