Brasil

“Não me arrependo de ter feito delação”, diz Wesley Batista

Wesley (dir.) está preso desde setembro Wesley (dir.) está preso desde setembro Reprodução/TV Senado

O empresário Wesley Batista, ex-presidente da JBS, preferiu ficar em silêncio durante sessão da CPI mista da JBS, na manhã desta quarta-feira (8). Antes disso, ele fez um breve discurso, afirmando não estar arrependido de ter feito a delação.

— Gostaria de aproveitar essa oportunidade para dizer que não me arrependo de ter decidido colaborar com a Justiça brasileira. Quando decidimos fazer um acordo de colaboração, o mais eficaz que já se viu até agora no País, nós não tínhamos noção e ideia do quanto isso afetaria a nossa vida, a vida de nossas famílias e de nossos filhos. Foi um processo de profunda transformação pessoal e empresarial.

Wesley e o irmão estão presos desde setembro. Joesley Batista havia ido para a cadeia por descumprir o acordo de delação premiada, juntamente com o executivo Ricardo Saud. No entanto, na mesma semana, foi emitida nova ordem de prisão, dessa vez incluindo Wesley, por suposta manipulação do mercado financeiro.

Aos parlamentares, o empresário negou todas as acusações.

— Eu estou preso por um crime que jamais cometi, jamais descumpri o acordo de colaboração premiada firmado com o Ministério Público Federal.

No dia 31 de outubro, Ricardo Saud também se manteve em silêncio durante a sessão da CPI.