Brasil Economia

Contribuintes recebem hoje mais de R$ 3 bi no último lote do IR 2017

Restituições ficam disponíveis no banco por um ano Restituições ficam disponíveis no banco por um ano USP Imagens

Nesta sexta-feira (15), a Receita Federal paga R$ 3,1 bilhões a mais de 2 milhões de contribuintes que tiveram a restituição do Imposto de Renda liberada no sétimo e último lote de 2017.

Além das restituições de 1,897 milhão de contribuintes entregues em 2017, o megalote do Imposto de Renda abrange também restituições que estavam presas no banco de dados do Fisco entre os anos de 2008 e 2016.

VEJA AQUI SE VOCÊ TEM GRANA A RECEBER

O crédito bancário liberado vai diretamente para a conta informada pelos contribuintes no momento de entrega da declaração.

A Receita afirma que, do total disponibilizado, R$ 102,8 milhões serão destinados para 23.775 contribuintes idosos e 3.331 com alguma deficiência física ou mental ou moléstia grave. A medida compre a determinação do artigo 69-A da Lei nº 9.784, de 1999.

Use a restituição para pagar dívidas ou guarde o dinheiro para emergências

O Fisco afirma que, caso o valor não seja creditado na conta que teve a restituição liberada, o contribuinte deve entrar em contato com qualquer agência do Banco do Brasil ou ligar para o telefone 4004-0001 (capitais), 0800-729-0001 (demais localidades) e 0800-729-0088 (telefone especial exclusivo para deficientes auditivos) para agendar o pagamento em conta-corrente ou poupança.

As restituições ficam disponíveis no banco durante o período de um ano. Se o contribuinte não fizer o resgate nesse prazo, deverá requerê-la pela internet.

Montantes de restituição são corrigidos pela taxa Selic Montantes de restituição são corrigidos pela taxa Selic Divulgação/Receita Federal

Malha Fina

De acordo com o Fisco, mais de 747 mil declarações entregues neste ano encontram-se retidas na malha fina. O valor corresponde a 2,46% do total declarações apresentadas.

Do total de documentos retidos com o Leão, 71,61% apresentam imposto a restituir, 24,49% têm imposto a pagar. Outras 3,9% não apresentam imposto a restituir ou a pagar.

Caiu na malha fina? Saiba o que fazer

O Fisco afirma ainda que a retenção dos documentos ocorre devido a inconsistências nas informações prestadas, sendo 506.975 deles com a omissão de rendimentos do titular ou seus dependentes.

Há ainda 261.220 declarações com divergências entre o IRRF informado na declaração e o informado em DIRF; 133.875 com a dedução de previdência oficial ou privada, dependentes, pensão alimentícia e outras, e; 146.891 com problemas relacionadas a despesas médicas.

De acordo com a Receita, uma declaração pode estar retida na malha fina por uma ou mais razões.